[ editar artigo]

5 motivos que fazem o bebê acordar à noite

5 motivos que fazem o bebê acordar à noite

Ao contrário do que a maior parte das pessoas imagina, dormir a noite inteira não é um comportamento absolutamente natural. É, antes, um aprendizado que o bebê conquista com muita paciência e persistência.

Os mecanismos do corpo, o funcionamento dos sistemas e a organização das necessidades da criança sugerem que é esperado o bebê acordar à noite.

Por isso, é importante os pais pararem de se culpar caso o filho não emende mais do que três horas dormindo. Eles não estão agindo errado e nem estão acostumando mal a criança. Estão, acima de tudo, respondendo ao chamado da natureza.

Existem boas razões para o bebê acordar à noite. Confira!

1. O ciclo do sono

Bebês foram projetados para ter ciclos de sono mais curtos. A ideia da natureza, que é bem sábia, é manter os pais vigiando a cria e, assim, garantir um maior índice de cuidado e sobrevivência. É duro, mas é verdade.

Para comparar, adultos têm ciclos de sono de 90 minutos e acordam ou chegam perto de acordar e aí voltam a dormir. Adultos saudáveis têm, em média, três desses ciclos por noite.

Bebês acordam à noite, porque têm ciclos de 60 minutos. Ou seja, é normal eles acordarem ao fim de cada um desses períodos e não voltarem a dormir naturalmente e sozinhos.

2. Saudade

Em termos evolutivos, filhotes gregários andam colados — literalmente — às suas mães. Em outras palavras, a natureza entende que os bebês devem ficar fisicamente próximos — ou grudados mesmo — às suas mães.

Por isso, quando percebe que está distante dos pais, o bebê acorda à noite. Período longo demais longe da mãe ou do pai dá esse efeito. Uma boa maneira de resolver é deixar o bebê no quarto dos pais, próximo à cama, nos primeiros tempos. Só de ouvir a respiração dos pais, ou sentir um afago na barriguinha, eles relaxam e voltam a dormir.

3. Fome e sede

É natural o bebê acordar à noite porque está sentindo fome ou sede. Ao contrário das crianças maiores e dos adultos, que conseguem sublimar esse desconforto, os nenéns são bem dramáticos e não lidam bem com a barriga vazia.

Aí não tem jeito, é preciso levantar e amamentar o pequeno. Uma boa saída é amamentá-lo, mesmo meio sonolento, quando a mãe for deitar. Assim, ela garante uma esticada de cerca de três horas.

Aos poucos, o bebê vai se acostumando com a sensação e a fome, ou sede, deixam de ser urgentes. Nesse ponto, os períodos de sono começam a se alongar até durarem a noite toda.

4. Dentes

Por volta dos cinco meses, os dentes começam a aparecer. Enquanto fazem força para rasgar as gengivas dos pequenos, trazem outros desconfortos, como excesso de baba, assadura, febrícola e irritação.

Tudo isso pode afetar o sono e isso leva o bebê a acordar à noite. A boa notícia é que, como vem, vai. Some sozinho.

5. Picos de crescimento

São momentos muito específicos, que duram alguns dias e fazem os bebês darem um estirão rápido. Em geral, acontecem próximos aos 3, 6 e 9 meses. Nas noites desses dias, pode se preparar para ter o sono interrompido.

Saber que é normal o bebê acordar à noite e entender as razões para isso alivia a preocupação e a tensão dos pais. Notar que são fases e que vai passar, também ajuda no aprendizado.

Por isso, se você tem um bebê que acorda várias vezes à noite, ou conhece quem está nesse momento, encaminhe esse texto, compartilhe nas redes e mostre que está tudo certo e que, em breve, o neném vai dormir a noite todinha.

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Ler matéria completa
Indicados para você