[ editar artigo]

7 dicas práticas para as mamães que trabalham fora

7 dicas práticas para as mamães que trabalham fora

Atualmente no Brasil, mais da metade das mulheres que são mães também trabalham, seja no mercado formal ou informal. O país tem aproximadamente 30 milhões de mamães trabalhadoras, o que representa 51,3% do total das mulheres acima de 15 anos com filhos.

Imagine que todas essas grandes mulheres, em um momento, tiveram que deixar seus pequenos em casa, para iniciar ou retornar ao serviço. E por quê? A mamãe trabalha fora! Os compromissos profissionais são muitos e nenhum pode ser deixado em segundo plano. Mas será que essa nova vida precisa ser caótica? Claro que não! A transição nunca é simples ou fácil, mas é necessária. E pode ser bem menos dolorosa com a ajuda de algumas pessoas e as dicas a seguir. Confira:  

Envolva toda a família

Com o período da licença-maternidade, e a primeira fase de adaptação do bebê, a rotina da casa já passou por alguns ajustes. Agora é a hora de contar com o seu companheiro para que tudo isso seja mantido. E não estamos falando de uma “ajudinha”, mas ser responsável pela ordem, assim como os outros filhos (caso tenha). Esse é o primeiro passo que a mãe trabalhadora deve tomar para conseguir dar conta de tudo. Foi-se tempo em que a mulher cuidava de tudo sozinha. Agora, com a mulher com força total no mercado de trabalho, o homem e os irmãos mais velhos devem também fazer a sua parte.

Aprenda a confiar

Você só ficará realmente calma para voltar ao trabalho, se a criança estiver com alguém que você realmente confia. Pode ser um parente, uma babá ou até mesmo uma creche. Realize entrevistas, passe um questionário, visite o local quantas vezes for necessário, peça recomendações. Faça o que for preciso para que o seu coração fique sossegado. Somente de consciência tranquila o seu retorno ao trabalho será possível.

Esteja presente no dia-a-dia do bebê, mesmo a distância

Uma pesquisa americana concluiu que a voz da mãe conforta tanto quanto um abraço! Com isso em mente, tente realizar ligações de áudio ou até mesmo de vídeo ao longo do dia, (nada melhor do que ver o rostinho do seu pequeno, não é mesmo). Se não for possível parar no trabalho para usar o telefone, é indicado fazer gravações para a criança! Pode ser cantando uma música, lendo uma história ou mandando um recadinho carinhoso.

Outra opção prática para aliviar a sua ausência, é deixar uma peça do seu vestuário pendurada no berço (uma blusa ou lenço, por exemplo). Assim quando a saudade apertar, ele sentirá seu cheiro e irá se acalmar aos pouquinhos.

Conte a verdade

Depois de certa idade, seu filho certamente começará a perguntar para onde a mamãe vai e por que ela sai todos os dias. E ele merece uma resposta honesta! Diga que sua mãe precisa sair para trabalhar e com quem ele ficará — se for uma babá, explique exatamente quem ela é, se for uma creche, a mesma coisa. É muito importante ter cuidado para não gerar expectativas na criança que não serão cumpridas. Então só fale que irá buscá-la se você realmente for. Caso seja outra pessoa que vá pegá-lo, não prometa que você estará presente.

Defina suas prioridades

Encare sua vida pessoal com a mesma responsabilidade com a qual encara sua vida profissional. Compromissos com os filhos são como reuniões importantes. Não desmarque! E ter objetivos expressos faz com que você se sinta na obrigação de realizá-los. Para seguir à risca o que foi previamente estabelecido, é uma boa ideia ter uma agenda e criar uma rotina de horários. A organização não só facilita a vida como promove um ambiente seguro, tanto no trabalho quando também em casa. Dessa maneira, os seus filhos, por exemplo, já sabem o que esperar e aprendem a fazer as tarefas na sequência.

Aceite as suas escolhas

O afeto não pode ser medido em horas, minutos ou segundos, apenas em intensidade e atitudes. Então, se você não pode parar de trabalhar, aceite isso para sofrer menos. Ter consciência de que está fazendo o melhor que pode, traz paz. Se sentir culpada não quer dizer que é culpada de alguma coisa. A melhor escolha para as mães é aceitar a sua escolha de trabalhar e cuidar da família. O importante é saber que fez a melhor escolha para todos!

Deixe o sábado e o domingo para a família

Se no fim de semana você não trabalha, reserve-o para o seu filho. Dispense a babá ou a pessoa que fica com ele enquanto você está fora e aproveite essas horas em casa para interagir e aproveitar o contato com o seu pequeno. Esse momento exclusivo de atenção irá fortalecer o laço materno (mostrar como ninguém é capaz de substituir a ligação super poderosa da mamãe com seu neném), além de te distrair e criar ótimas lembranças!

CONFIRA NA SUA EMPRESA

Companhias com mais de 30 mulheres devem oferecer uma creche interna. Verifique se existe essa demanda e há algo assim em sua empresa e, caso não exista, junte-se com as demais mães e conversem com a administração. É um direito seu!  

IMPORTANTE

Não esqueça de si mesma!

Com a cabeça alucinada entre o trabalho e a família, a primeira coisa que a mulher faz é parar de se cuidar. O recomendável é que as mamães arranjem tempo para fazer uma atividade física ou cursos que deem prazer e sejam relaxantes. Se não for possível algo tão regrado assim, tente, pelo menos uma vez por semana, agendar uma manicure, uma massagem, uma ida ao shopping, ou um encontro com as amigas. Mães felizes transparecem isso aos filhos. Encare como um compromisso com a sua saúde mental.

O que achou das nossas recomendações? Incluiria mais alguma? Com certeza muitas mamães estão passando por essa transição nesse exato momento! Compartilhe esse conteúdo e ajuda mais mulheres a voltarem ao mercado de trabalho confiantes e com a certeza de que é possível conciliar a vida profissional com a maternidade!

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Ler matéria completa
Indicados para você