Afinal, como é ser mãe de gêmeos?
[editar artigo]

Afinal, como é ser mãe de gêmeos?

Quando você descobre que vai ser mãe a alegria é realmente imensa. Existe todo o universo do amor, do medo, do surpreendente. A vida da mulher muda no momento em que ela descobre que tem uma vida se desenvolvendo e que depende dela para crescer.

Começa-se então a sonhar com nome, quarto do bebê, decoração, enxoval do bebê. É um mundo que ganha forma. Mas… de repente chega o susto. Ao invés de um, são 2!

2 enxovais, 2 sonhos, 2 tudo…

O que fazer?

Como proceder?

O que dizer aos pais, aos amigos?

Ser mãe de gêmeos é se doar, sentir, entender… tanto quanto ser mãe de um só. Mas, claro que tudo é dobrado.

Para entender esse processo e para ajudar as mães que também passam por todo esse universo surpreendente, Giovanna Marçal, que é mãe de gêmeas, criou o perfil “Vida com as Gêmeas”. Nele, ela conta o dia a dia, como elas estão se desenvolvendo, produtos e mais uma série de dicas que ajudam as mães de todo o Brasil a entender o que é ser mãe de gêmeos.

Conversamos com a Giovanna, para entender todo esse processo.

Ser mãe sempre foi uma vontade?

Sim, sempre tive certeza que queria ter filhos, eu inclusive desejava ser mãe de gêmeos. O mundo gemelar sempre me encantou!

O que você sentiu ao descobrir que eram duas?

Na noite anterior ao exame, eu sonhei que segurava a mão de duas crianças, foi um sonho bem confuso, acordei e tive um sangramento, tive que ir para o hospital. No começo parecia correr tudo bem com o bebê. O sangramento não tinha sido prejudicial. Porém, em um certo momento ela se assustou vendo um outro feto! Ali, o sonho virou realidade!! Impossível acreditar!!

Houve momento de arrependimento?

Não, jamais.

Sentiu medo do que vinha pela frente?

Não sei se a palavra era medo, mas insegurança, pela falta de experiência e por serem duas.

Sente medo até hoje?

Hoje me sinto segura, sei exatamente as necessidades delas.

Dá para descrever em palavras o sentimento de ser mãe?

É a melhor coisa da vida. Um amor, surreal.. não da pra descrever!

O que pensa para o futuro das meninas?

Desejo que elas tenham cumplicidade entre elas, pratiquem algum esporte, caminhem juntas. Sejam mães.

Para você, qual é a definição de liberdade?

Liberdade para mim é poder fazer exatamente o que se tem desejo. Isso foi uma questão no começo, conquistar uma liberdade dentro das limitações de ter duas filhas. Hoje tudo se encaixou me sinto livre, no sentido de ir e vir, com elas.

O pai das meninas é presente? Como é a relação dele com as filhas e como isso te ajuda?

O Caio, pai delas, apenas não amamentou, de resto fez e faz tudo. Ele desejou muito tê-las e eu acho isso sensacional, além de me ajudar no dia a dia, cria um vínculo muito bom entre eles.

No universo da maternidade, o que mais te causou alegria e o que mais te causou medo?

O que mais me causou medo, foi a gestação, foi um momento muito difícil, insegurança, ansiedade e medo de algo dar errado, como por exemplo o parto. Inclusive foi nesse período que resolvi dividir meu dia a dia nas redes sociais, de forma que eu tivesse um meio de contato com outras mães.

Agora, alegria! Tudo, tudo nelas me traz felicidade, satisfação, é amor o tempo todo, todos os dias.

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Continue lendo
Indicados para você