[ editar artigo]

Aprenda a lidar com as emoções na gravidez

Aprenda a lidar com as emoções na gravidez

Ao contrário do que as pessoas imaginam, a maior mudança pela qual a mulher passa durante a gestação não acontece no corpo. Acontece mesmo é nas emoções e nos sentimentos.

É verdade que a barriga cresce, a cintura some e os seios dobram de tamanho. O cabelo fica viçoso, o rosto, um pouco inchado, e a mulher fica mais bonita, quase que com uma aura encantada.

Parece bastante coisa, e é mesmo. No entanto, nada disso se compara à montanha russa que essa mulher está enfrentando por dentro e enfrentará até o fim da gravidez.

É muito importante saber que é assim mesmo que funciona, que é normal e até esperado que tudo isso aconteça. Quando a mulher sabe o que vai atravessar — e quando a família entende e acolhe — o cenário fica mais suave, menos tenso e mais proveitoso.

A chave para entender tudo sobre emoções na gravidez é a seguinte equação:

Hormônios em polvorosa + pressões da vida cotidiana = mãe emocionada

Com os hormônios, a gente não pode e nem deve discutir, eles são os guardiões do bom andamento da gestação. Com as pressões a gente pode negociar e abrir mão de algumas para recuperar a serenidade (própria e da família).

Para facilitar a vida da mãe e de quem está em volta, fizemos um guia da emoção na gravidez. Uma espécie de mapa que pode orientar a curtir e atravessar cada uma das fases. Prepare-se, aperte o cinto — mas não demais para não incomodar o bebê — e divirta-se.

Preocupação inicial

No comecinho da gestação, das primeiras semanas até o terceiro mês, a tônica é a preocupação.

Se a gravidez veio de surpresa, a mulher passa 24h por dia pensando em como vai organizar a vida para cuidar da criança, para prover tudo que ela vai precisar, para ser a melhor mãe para aquele bebê.

Se a gravidez foi planejada, a mulher enfrenta todas essas questões e também será a melhor pessoa para cuidar daquele filho tão desejado.

É como se a mulher se auto analisasse muitas vezes ao dia, se colocasse à prova e chegasse a duvidar da própria capacidade. Se você passou por essa fase, mesmo que em gestações anteriores, sabe muito bem o que são as emoções na gravidez.

Sono e cansaço

A mudança nos hormônios — e o consequente e natural acúmulo de água no cérebro — também deixam a gestante mais sonolenta e fazendo tudo mais lentamente. Para mulheres que são muito ativas, isso pode provocar uma tremenda irritação.

Para todos esses sintomas na gravidez, há dois bons antídotos. O primeiro, é lembrar que tudo isso é passageiro. Não vale a pena brigar com o que a natureza manda.

No momento da preocupação ou da irritação, respire, relaxe, beba um copo d’água e deixe passar. Não vale a pena estressar. A vida se ajeita, tem gente para ajudar, você não está sozinha e ainda há bastante tempo pela frente até o bebê nascer.

O segundo antídoto é o bom humor. Veja em perspectiva, talvez você esteja fazendo um papelão com essa impaciência, ou com essa marcha lenta nas atividades. Confesse, até você tem vontade de rir com tudo isso. Para curar esse excesso de emoção, rir é mesmo o melhor remédio.

Emoção transbordando

Lá vem chegando o segundo trimestre e, com ele, uma mudança no perfil das emoções na gravidez. Como o corpo realmente já mudou, a mulher começa a realizar mais a gestação e as emoções se voltam para aquela criancinha que está se formando, crescendo dentro da barriga.

Só de ler isso aqui, a mãe de segundo trimestre já está chorando. Qualquer coisa emociona, as lágrimas correm até vendo comercial de margarina na TV. Junto dessa nova fase, vem uma tremenda preocupação com a saúde, a formação e o desenvolvimento do neném.

A comparação com o que outras mães sentem ou sentiram na mesma fase, o resultado dos exames, a pressão para que tudo esteja bem tira o sono da grávida. A família tenta ajudar garantindo que está tudo certo, o médico prova que está tudo correndo muito bem e o marido implora para que a mulher relaxe.

Tranquilidade para aproveitar o tempo livre


Se você não ouviu ninguém até agora, está na hora de ouvir: dormir bem, descansar, se alimentar e delegar tarefas são fundamentais para a sua saúde e do bebê. Pare de se preocupar à toa e aproveite o tempo livre para descansar e namorar. Depois que o filho nascer vai ficar mais complicado.

O segundo trimestre passa rápido, a reta final chega no sétimo mês, quando a mulher se sente inteiramente grávida. Dos cabelos brilhantes até os pés inchados, totalmente grávida e totalmente emocionada.

As emoções na gravidez se juntam numa só e viram ansiedade. Seja para terminar de preparar a casa, o enxoval, lavar as roupas da maternidade, seja para conhecer aquela pessoinha que vive com você, mas ainda não deu as caras.

Os tipos de parto, anestesia ou não, será que o leite vai descer? São várias pequenas e grandes preocupações que trazem picos de emoção na gravidez neste terceiro trimestre.

Nesse ponto, tão perto, mas tão longe do final, há alguns caminhos que ajudam a driblar o nervosismo. Atividade física é o principal. Se você já fazia antes de engravidar e no início da gestação, basta continuar. Nadar e fazer hidroginástica podem ser boas ideias. Se você estava mais parada, cheque com seu médico antes e se ele autorizar, caminhe, faça yoga e alongamento.

Dançar também pode ser bem gostoso. A libido às vezes some nesse período, então — sem forçar a barra — aproveite para passear, ir ao cinema, jantar fora e dormir de conchinha com seu marido. Em breve vai ficar difícil.

Seu companheiro, amigas e parentes próximas também são bons aliados para dividir seus sentimentos e aflições. Todas as alterações de emoções na gravidez são justas e devem ser bem recebidas por você e pelas pessoas mais próximas. Divida com eles o que sente e respire aliviada.

Aliás, a dica final serve para toda essa gama de emoções na gravidez: conte o que sente e ouça quem já passou por isso. Sua mãe, sua avó, suas amigas são bons ombros, bons ouvidos e boas conselheiras. Elas certamente terão uma informação valiosa que vai despreocupar você e provocar uma boa gargalhada.

Se você puder fazer o mesmo por outras mães contando aqui como passou pelas mudanças de emoções na gravidez, comente aqui no nosso post e compartilhe nas redes sociais. Se você fizer uma grávida sorrir de despreocupação e por se sentir acolhida, já terá feito a boa ação do dia.

TAGS
Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Ler matéria completa
Indicados para você