Como participar da gestação e ser um super pai desde o início?
[editar artigo]

Como participar da gestação e ser um super pai desde o início?

Os obstetras e pediatras vêm observando uma mudança na sociedade. Hoje não é só a mulher quem atravessa a gestação para ter um bebê. Claro que os rapazes não enjoam, nem sentem as dores do parto, mas os pais estão tão participativos que alteraram a maneira das famílias encararem a gravidez.

É de fato uma transformação significativa, que tira da mulher a responsabilidade total para tudo correr bem. A ideia dessa nova geração de pais — que podem ter qualquer idade e filhos anteriores — é compartilhar e vivenciar, sem tirar da mulher o protagonismo do momento, mas se fazendo presente no papel de pai.

Na prática significa uma divisão de tarefas mesmo. Para dar uma ideia, pode ser algo assim: a mulher decide as coisas relativas ao seu corpo e o homem se encarrega de montar a parte pesada do quarto. A mãe entrevista as candidatas a babá e o pai marca os exames e acompanha a mãe em todos e por aí vai.

Aliás, o acompanhamento da saúde da gestante é primordial. O pai deve estar presente nas consultas, nos exames de pré-natal, nos momentos de decisão e, claro, na sala de parto. A mão firme, o abraço, o companheirismo nessas ocasiões unem o casal e preparam o ambiente amoroso para a chegada do neném.

O maior empecilho para a participação mais ativa dos futuros pais, pode parecer estranho, mas é a resistência da mulher. Algo dentro dela pressiona para que ela cuide de tudo, resolva tudo, decida tudo. Aí não sobra brecha mesmo. Essa postura é herança de um tempo em que a mulher era a rainha do lar e o homem apenas o provedor. Isso mudou. E pode mudar dentro de você também.

Seu companheiro é tão capaz quanto você de acionar o seguro saúde para reservar a maternidade, escolher o kit de berço, comprar as fraldas, decidir a cor dos bodies e culotes. Aceite as ideias e a ajuda dele e você vai descobrir que além de um maridão e um paizão, o cara é um parceiro de projetos, o que é excelente para a vida inteira.

Nós separamos três dicas do que a mãe pode pedir e esperar do pai durante a gravidez e, depois, mais quatro ideias para o pai seguir durante essa fase especial. Veja só!

Para a mãe

1. Aceite

A gente sabe, você prefere as coisas do seu jeito, sabe que vai dar certo e confia no resultado. No entanto, você nem deu chance para o seu marido mostrar que ele também pode resolver. Aquilo que não for inegociável para você merece ter a participação do marido sim. Leve em conta o que ele diz e acha, podem vir boa surpresas. Cá entre nós, você não teria escolhido ele para marido e pai se não fosse um cara com super poderes, certo?

2. Peça ajuda

Seu parceiro não sabe ler pensamento nem realizar desejos secretos. Se você acha que ele pode fazer algo que não está fazendo, jogue limpo, converse com ele. Muitos homens não fazem a menor ideia do que é importante para uma mulher grávida, não conhecem os medos e receios, mas têm muito boa vontade para aprender.

Se você quer fazer um curso de gestante, fale com ele como seria bom que ele participasse. Alguns rapazes acham chato, ou têm vergonha. Se ele for irredutível, procure os cursos on-line, que vocês podem fazer juntos e em casa.

3. Aproveite

Você está grávida, é verdade, mas sua vida não se resume à espera do bebê. Continue sua vida: namore, passeie, aproveite a companhia do seu companheiro e não só do pai da criança. Se ficar mais sensível (benditos hormônios), peça carinho, abraço, aconchego. Massagem para as dores na lombar são uma bênção e ele vai adorar ajudar.

Para o pai

1. Acompanhe a saúde

Esteja junto e participando ativamente das consultas e exames. Se tiver dúvidas, converse com o obstetra. Existem questões que são mesmo um mistério para os rapazes: assoalho pélvico, dilatação, oxitocina... não tenha receio. O médico é do casal e não só da mulher. Dúvidas relacionadas ao relacionamento também podem aparecer e o obstetra, ou outro especialista, podem dar uma força.

2. É uma fase

Sim, ela está mais sensível. Se irrita ou chora por bobagem. Mas entenda, o corpo da sua mulher está passando por uma revolução e ela não é a única responsável por isso. Um pouco de paciência e bom humor curam tudo. Pergunte a ela como quer resolver cada situação e cheguem a um acordo. Isso vale muito.

E, lembre, tudo isso vai passar (virá o puerpério na sequência, é verdade, mas isso é assunto para outro post) e a parte gostosa é o que fica na memória.

3. Lembre a ela que vocês são um casal

Depois que o bebê nascer a vida a dois vai ficar um pouco confusa. É preciso se reinventar como casal e como família. Enquanto isso não vem, sua companheira talvez nem saiba, mas ela adoraria que você a lembrasse que vocês dois são um casal.

Então convide ela para passear e fazer coisas não relacionadas à gestação ou ao bebê que virá. Cinema, restaurante, viagem, papo com amigos, enfim, o que tem a cara de vocês e que acaba ficando em segundo plano durante a gestação. Façam planos que não tenham o bebê como foco: uma pós-graduação, um negócio novo, uma pequena reforma no home theater, etc.

4. Planeje a vida para o pós-parto

Sabe aquelas tarefas da casa que, geralmente, a mulher fazia antes e durante a gravidez? Talvez ela não possa realizar depois que o bebê nascer. Se organize e deixe ela saber, ainda durante a gestação, que você resolverá isso para que ela tenha tempo e disposição para o turbilhão que virá depois que o pequeno chegar.

Feira, contato com as pequenas manutenções, o jantar... assuma as responsabilidades que puder e combine tudo antes do parto. Isso vai aliviar imensamente sua companheira, coisa que você vai adorar proporcionar.

O pai é fundamental. Participar, estar ao lado da grávida e se antecipar aos problemas e tarefas são posturas admiráveis. Os homens têm percebido isso e já mudaram muito seu comportamento. O grande desafio agora é o casal se acertar, negociar o papel de cada um para receber e cuidar do bebêzinho com muito amor.

Se você está esperando bebê, ou conhece quem está nessa fase mágica, compartilhe essas ideias. Quanto mais gente souber como o pai pode participar e ajudar durante a gestação, melhor para todo mundo, inclusive para os bebezinhos. Então, compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais e divida a informação com amigos e familiares!

TAGS
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Continue lendo
Indicados para você