{{ warning.message }} Ver detalhes
Post
Link
Pergunta
Entenda o desenvolvimento dos 5 sentidos nos bebês
[editar artigo]

Entenda o desenvolvimento dos 5 sentidos nos bebês

A natureza é tão sábia que produziu o ser humano com cinco canais de percepção separados e especializados em estímulos diferentes. São os cinco sentidos: visão, audição, tato, paladar e olfato. Com eles, a gente percebe o mundo e sente cada coisa com características diferentes.

Se para um adulto a percepção via cinco sentidos já é importante, imagine para um bebê, que está chegando agora e, literalmente, descobrindo o mundo e a vida. Os cinco sentidos são fundamentais para o desenvolvimento dos bebês. Estimular cada um deles garante um crescimento rico e cheio de referências para os pequenos.

Tato

O tato é o sentido que é formado primeiro durante o desenvolvimento dos bebês. Já entre a 5ª e a 6ª semana de gestação, os mecanismos que vão compor esse sentido já estão presentes. Alguns de forma bem rudimentar, mas a semente já está ali.

Embora não se dê conta conscientemente, o feto sente o contato com o líquido amniótico (principalmente perto dos lábios e do nariz). Com 12 semanas, seu filho já sente com o corpo todo.

A coordenação motora das mãos, braços, pernas, quadris, cabeça e rosto se dão, primeiramente, pela resposta ao toque e pelas sensações que o tato provoca. Mais profundo que o nível da pele, é o toque e as percepções que ele provoca que ensinam ao bebê o que é cuidado e como ser cuidado significa ser amado.

Por isso, toque o seu filho. Abrace, deixe no colo, estimule o contato pele a pele e massageie na hora do banho. Tudo isso chega para a criança como proteção e amor. Deixe seu filho pegar objetos diferentes, experimentar novas texturas e temperaturas.

Andar descalço também é um parque de diversões e aprendizados para os bebês. Com tudo isso, ele vai andar mais naturalmente, se equilibrar melhor, reconhecer perigos e oportunidades.

Audição

O segundo sentido a se formar no feto é a audição. Por volta da 20ª semana de gestação, se tudo correu bem, o bebê vai começar a ouvir. Diferente do tato que não chama a atenção do bebê imediatamente, a audição desperta a criança para um mundo novo.

Primeiro porque, ouvindo, ela vai perceber que existem acontecimentos no seu entorno que ela não controla. Ouvindo o coração e a digestão da mãe, ela vai perceber que não está sozinha, que há um algo a mais no entorno dela. Logo vai começar a ouvir a voz da mãe e até do pai. Vai se familiarizar com esse estímulo e vai até desejá-lo.

Segundo, porque ela vai perceber que esses sons externos a ela alteram, sem que ela tenha controle, suas emoções e sentimentos. Se a mãe está nervosa, o coração bate mais rápido e o bebê também se agita. Se a mãe está relaxada, a respiração dela e seus barulhos ficam mais suaves e o bebê também se acalma.

Quando o bebê nasce, já reconhece a voz da mãe e do pai. Vira a cabeça para acompanhar as conversas e adora que os pais cantem e conversem com ele. E, acredite, ele entende. Então pode abusar dessa brincadeira que só faz bem.

Olfato

Depois da audição, o terceiro sentido a aparecer e a estimular o desenvolvimento dos bebês é o olfato. Ele se forma por volta da 28ª semana de gestação e, embora o bebê não aspire o ar dentro da barriga da mãe, o mecanismo está pronto para o uso e será bastante importante.

Assim que nasce e respira, o bebê logo reconhece o cheiro da mãe e vai se orientar por ele para saber onde está e se está a salvo. Nos primeiros dias, portanto, é importante a mãe não usar produtos com cheiro forte para ajudar o filhote a reconhecer os odores. O mesmo vale para o cheiro do pai e da casa.

Logo, uma coleção de cheiros vai começar a compor o repertório do pequeno: do leite, do banho, da comida recém-preparada, da vovó, do irmão e dos bichinhos da casa. Aprender a reconhecer pelo cheiro é uma habilidade que quase todos os animais têm e garante boas lições.

Por isso, deixe a criança sentir o aroma da cozinha, deixe ela brincar perto da grama e das flores, leve para fora de casa assim que a chuva passar. No banho, troque os produtos e vá nomeando cada cheiro. Tudo isso vai ajudar a estimular ainda mais o olfato do bebê.

Paladar

Grudadinho com o olfato está o sentido do paladar. As áreas do cérebro que administram esses sentidos são, de fato, coladas e uma estimula a outra e vice-versa.

No bebê, a formação do mecanismo do paladar aparece já no final da gestação. Quando nasce — e isso explica muita coisa — o neném já é capaz de reconhecer o gosto doce. À medida que vai crescendo e sendo estimulado ele passa a reconhecer os outros sabores, desenvolvendo preferências e repulsas.

O desenvolvimento dos bebês fica mais rico quando o paladar é estimulado. O melhor é que é divertido e muito gostoso fazer isso. Como? Desde o início da alimentação sólida, ofereça comida temperada. Cada dia, um tempero diferente e nunca abuse do sal.

Visão

O último sentido a aparecer no desenvolvimento dos bebês é a visão. Na verdade, ela só se completa depois que o neném nasce. Bem depois. No começo, eles veem tudo embaçado, mas já enxergam o suficiente reconhecer algumas características importantes do mundo. As formas e as cores, por exemplo.

Com um mês, o neném vê o rosto da mãe e reconhece, desde que esteja a uma distância de mais ou menos 30cm. Por isso, quando estiver amamentando, ou trocando a fralda do filhote, olhe fundo nos olhos dele, estabeleça contato. Isso ensina a encarar os iguais e a reconhecê-los.

Com 3 meses, o bebê olha de um lado para o outro e acompanha objetos em movimento. Aos 6 meses já foca o olhar à maior distância. A partir de 1 ano começa a diferenciar as cores e saber os nomes de cada uma delas.

Os pais podem estimular a visão proporcionando ambientes coloridos, com formas variadas e com um móbile divertido com imagens variadas e de formatos diversos.

Cada um dos sentidos do bebê atua no desenvolvimento de diferentes áreas cognitivas e motoras da criança. Entender cada um deles e como se desenvolvem é essencial para que os pais possam compreender o crescimento do bebê, e acima de tudo, ajudar e estimular cada um desses sentidos.

Agora que você já sabe a importância dos cinco sentidos no desenvolvimento dos bebês, que tal compartilhar com as pessoas que você mais gosta? Basta colocar nas redes sociais e deixar a família e os amigos bem informados sobre o valor do tato, olfato, paladar, audição e visão.

TAGS
Alô Bebê

Alô Bebê

Redação - Alô Bebê

Fique informado sobre as novidades da comunidade
Cadastre-se aqui
Gostou desse artigo? Escreva o seu também!
Nova publicação

Artigos relacionados

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar