Hora de relaxar: 5 opções de massagens para a gestante e 1 para o bebê
[editar artigo]

Hora de relaxar: 5 opções de massagens para a gestante e 1 para o bebê

O corpo humano é uma máquina incrível. Se prepara para receber, nutrir e desenvolver uma outra vida. Depois, trata de pegar no pesado para parir e alimentar o bebê que nasceu. Tudo isso dá o maior trabalhão, não acha?! Além do que é fisicamente cansativo. Alías, não podemos esquecer da preparação, pois ela ainda faz a mulher ficar inchada, dolorida, distraída, sonolenta ou com insônia, pesada e lenta.

Acho que isso tudo é suficiente para convencer o leitor, ou a leitora, que toda gestante merece passar por sessões de massagens na gravidez. Esse toque humano, firme e relaxante, é praticado pelos ancestrais há milênios e, quando feito de forma correta, traz infinitos benefícios. Alonga os músculos, destrava as tensões, faz o sangue e a linfa circularem melhor. Ainda tonifica, fortalece e acaricia músculos e pele.

Tem mais, é normal a mulher ficar tensa, preocupada e ansiosa durante a gravidez. São muitas providências, detalhes e vários cuidados a serem tomados. Tudo isso estressa e deixa a mãe uma bomba de nervos. A massagem atua também nessas emoções e sensações. Descansa, acalma e deixa o coração em paz. Uma boa massagem para a gestante é tudo de bom e quase não tem contra indicações.

Mas todo cuidado é indicado!

Na verdade, uma das poucas recomendações para os muitos tipos de massagens é que elas seja realmente adequadas para grávidas. Sim, porque dependendo da pressão do toque, ou dos movimentos propostos pelo massagista, a grávida pode ter contração, os vasinhos sanguíneos perto da pele podem romper, já que estão mais frágeis pelos hormônios que circulam nesse período, e outras pequenas chatices.

No entanto, os benefícios das massagens para a gestante são, ainda assim, maiores que as complicações. E as que podem vir a acontecer são fáceis de evitar e contornar. Por isso, conversamos com fisioterapeutas e obstetras para descobrir quais as técnicas para gestantes são mais seguras e indicadas.

Chegamos a cinco tipos e vamos explicar por que eles são os mais interessantes. Enquanto você lê, aproveite para respirar, rotacionar os ombros e alongar o pescoço dobrando a cabeça para um lado e para o outro. Tudo isso serve para ir dando um aperitivo do relaxamento que as massagens para a gestante podem trazer. Se esses movimentos derem efeito, imagine uma sessão completa?!

Por segurança, os obstetras começam a liberar massagens para a gestante a partir da 12ª semana, que é aquele ponto de virada que libera a trompa e deixa o bebê aos cuidados do útero até o final do processo. Antes que isso aconteça, não vale a pena fazer estripulias, ou trazer novidades para seu cardápio corporal.

Até o fim do primeiro trimestre, massagens podem desencadear sangramento, contração e ruptura de vasos. Em outras palavras, espere um pouco e deixe o obstetra liberar. Quando estiver na hora certa, aí é deitar e relaxar.

Confira as massagens liberadas para as grávidas

1. Drenagem linfática

É uma técnica que faz os líquidos do corpo circularem melhor. A ideia é fazer o líquido se mexer e, assim, reduzir os inchaços e a retenção. Tem toques mais firmes, para chegar às camadas de gordura, que ficam abaixo da pele, e toques mais suaves, que parecem um beijo de borboleta. Outra vantagem dessa técnica é que ela é relaxante e pouco dolorosa.

O massagista usa as mãos em velocidade lenta. Os movimentos são leves e "empurram" os líquidos do corpo para os canais de escoamento, como a virilha, por exemplo. Normalmente, são usados óleos essenciais. No caso das gestantes, eles são naturais, vegetais e pouco perfumados.

O cuidado é para não usar óleos estimulantes e sim os calmantes, como os de lavanda e camomila. Outra recomendação é evitar deitar de bruços e não fazer a massagem se estiver com alguma infecção, porque pode espalhar para outras partes do corpo.

2. Massagem relaxante

É a mais clássica. No caso das massagens para a genstante, a ideia é alongar e relaxar as tensões. O profissional faz toques, aperta e desliza as mãos em várias direções, além de fazer rotações.

Os cuidados são os mesmos da drenagem: cuidado com a pressão do toque, não exagerar nos alongamentos e não deitar de bruços.

3. Shiatsu

É a massagem oriental que promove bem estar físico e emocional. O objetivo dessa técnica é reduzir dores, estresse, insônia, ansiedade e o inchaço. O terapeuta trabalha os meridianos, que são canais de energia no corpo e ficam sobre articulações, músculos e nervos.

Grávidas que têm pressão alta ou estão doentes não devem fazer. Para as demais, é liberado pelos obstetras. É mais aconselhável fazer após a 18ª semana de gravidez.

4. Reflexologia

Também atua em várias frentes, assim como o shiatsu. Relaxa, melhora a circulação e aumenta a imunidade. A diferença é que ela é feita na sola dos pés com o toque das mãos do massagista.

Como os toques nos pés ativam o corpo inteiro, é preciso tomar cuidado para não estimular o útero, por exemplo.

5. Perineal

Essa é uma massagem própria para a gestante, porque relaxa a região do períneo — localizada entre a vagina e o ânus — para facilitar o parto normal. Essa massagem é feita pela própria grávida, deitada de barriga para cima e com as pernas levantadas, como no ginecologista.

Ela pode massagear a região em círculos, com uma pressão suave. O ideal é fazer só depois da 32ª semana de gestação.

Seu bebê também merece uma massagem!

A parte mais fofa dessa história é que não é só a mãe que merece esse misto de amasso com carinho. Não é que ele esteja exatamente estressado, mas vida de neném não é nada fácil. Existe, massagens para o bebê e ele também pode recebê-las. A mais conhecida é a shantala, uma técnica indiana e milenar.

Os movimentos são específicos, mas bem simples e intuitivos. O melhor: a mãe ou o pai podem fazer a shantala no filho desde o primeiro dia de vida.

1º passo: para começar, coloque o bebê de barriga para cima numa suprefície macia, mas que não afunde, como o trocador de fralda ou o colchão dos pais. Depois, segure as mãos do seu bebê com suas mãos e inicie.

A base é sempre a mesma, com os dedos formando um anel (use polegar e indicador, ou polegar e dois dedos), envolva os bracinhos da criança e girando para fora, escorregue a sua mão do ombro até o pulso.

Pode fazer em um braço de cada vez, ou dos dois ao mesmo tempo. O toque é suave e firme, sem apertar demais e sem ser só uma carícia. Repita algumas vezes.

2º passo: abra as suas mãos e deslize do pescoço do bebê até a pelve. Uma mão de cada vez, mas sem intervalos entre elas, na sequência.

3º passo: deite o bebê de lado, abra sua mão na altura do pescoço dele e deslize até o bumbum. Repita com uma mão de cada vez, sem intervalo entre elas. O toque é firme e contínuo.

4º passo: refaça o anel com suas mãos e massegeie as pernas do bebê, girando para fora e deslizando da virilha até o tornozelo. Repita enquanto ele estiver gostando.

5º passo: aperte suavemente e gire cada dedo dos pés do bebê entre seu polegar e o indicador. Depois, com o polegar e o indicador em posição de pinça, deslize seus dedos do calcanhar/tornozelo até a ponta dos dedinhos dele. Repita. Pode fazer em um pé de cada vez, ou nos dois ao mesmo tempo.

Termine abraçando seu bebê e falando palavras de carinho em seu ouvido. Pode ser que ele durma, ou faça xixi, ou cocô, de tão relaxado. Se o tempo estiver frio, use um aquecedor e mantenha suas mãos aquecidas para não causar desconforto.

E você? Acha que as massagens para a gestante e as massagens para o bebê surtem bom efeito? Como você fez ou faz aí na sua casa? Comente aqui embaixo, deixe suas opiniões e dicas porque toda a comunidade quer saber.

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Continue lendo
Indicados para você