Inchaço na gravidez: saiba como evitar
[ editar artigo]

Inchaço na gravidez: saiba como evitar

A gente já se acostumou a ver grávidas de sapato baixo, com pés e tornozelos inchados. É tão comum que a gente faz até uma associação direta. O nome técnico desse inchaço é edema e, embora frequente, não precisa ser obrigatório. Vários fatores influenciam no aparecimento da condição que muito raramente sugere algo mais sério e que é contornável.

Na verdade, o edema é mais um dos mecanismos que o organismo da gestante usa para garantir que tudo fique bem. Uma combinação de hormônios, circulação mais lenta e aumento da temperatura interna podem levar à retenção de líquido principalmente nas extremidades: mãos, pés e rosto.

Essa combinação não é à toa, ela existe para melhorar a distribuição de nutrientes para a mãe e para o bebê e para garantir que a temperatura do corpo da mãe fique estável, garantindo o bem estar do bebê.

No entanto, o inchaço pode ser desconfortável para a mãe. Dificulta colocar e tirar roupas, aumenta a sensação de calor, impede o movimento dos dedos das mãos e pode atingir em cheio a auto estima, porque não dá para usar qualquer sapato, é preciso tirar a aliança e parar de usar anéis.

Por isso, vale muito a pena evitar os edemas e, caso eles já tenham chegado, dá para reverter a situação. Existem algumas providências que resolvem bem a situação e não fazem mal nem para o bebê, nem para a mãe e você pode começar a realizar imediatamente.

10 dicas para evitar o inchaço na gravidez

1. Água contra água

A melhor e mais saudável maneira de combater o inchaço é, acredite, ingerir muito líquido. Tem lógica: quanto melhor os rins estiverem funcionando, menor será a retenção de líquido. O que significa beber bastante água? Cerca de 2 ou 3 litros por dia. Você vai ter vontade de fazer xixi, é verdade, mas esse é o efeito esperado e desejável.

2. Menos sódio = menos retenção

O excesso de sódio vem sendo apontado como causador de vários males em homens e mulheres, gestantes ou não. Além do sal de cozinha, aquele comum que temos em casa, a maior fonte de sódio são os alimentos industrializados que usam essa substância para conservar os alimentos e aumentar seu sabor.

Ou seja, basta reduzir o sal dos alimentos e fugir dos produtos ultra-processados que o sódio praticamente some. Molho de soja e temperos prontos também carregam no sódio, durante a gravidez é melhor evitar. Prefira comida de verdade e temperos naturais.

3. Senta, levanta

Grávidas não devem ficar na mesma posição por mais de uma hora. Se você trabalha sentada, levante a cada 50 min e ande por 10 min. Aproveite para ir ao banheiro, beber água e se alongar. Se você trabalha de pé, não fique muito tempo parada, na mesma posição, se movimente e sente a cada hora. Aproveite para alongar a lombar, botar as pernas para o alto, beber água e relaxar o pescoço, os ombros e o maxilar.

4. De ladinho

Esse é um truque que precisa ser conhecido. A grávida deve dormir de lado, virada para o lado esquerdo. Não é simpatia para escapar da insônia, é um jeito inteligente de descomprimir uma veia que é importante para a circulação. Quanto mais legal estiver a circulação, menor é o inchaço.

Colocar um travesseiro sob a barriga e outro entre as pernas também ajuda o sangue a correr melhor e, consequentemente, tudo funciona melhor. Em tempo, dormir bem é fundamental para a grávida. Cansaço também faz inchar.

5. Conforto

Não é tempo de usar roupas apertadas que dificultam a circulação. Calças que apertam a barriga, ou o tornozelo, blusas que apertam os punhos (assim como relógios e anéis) voltam para o armário e só saem de lá depois da gestação. Essa dica vale também para quem quer evitar varizes e não só na gravidez.

O mesmo vale para saltos muito altos. Como impedem o movimento natural dos pés e das batatas da perna, dificultam o retorno do sangue para a parte alta do corpo. Resultado, os líquidos ficam todos na parte baixa. Solas de até 3cm, com uma pequena diferença em relação à parte da frente do pé são as mais indicadas.

Os sapatos também não devem apertar os pés. É normal aumentar a numeração dos calçados durante a gestação. Antes de entrar em pânico, calma! Tudo volta ao normal poucos dias depois do bebê nascer.

6. Descruze as pernas

A mesma veia que é descomprimida quando a grávida dorme de lado, tem a circulação impedida quando a gestante cruza as pernas. Ela fica ali na região da virilha, do lado direito, e tem um papel muito importante em levar o sangue da parte de baixo do corpo para a de cima. Quando essa operação está tinindo, o inchaço dos membros inferiores diminui muito. Descruzar as pernas ainda reduz a chance de ter formigamento e câimbras.

7. Pernas para cima

Essa dica é a mais gostosa! Sempre que puder, deixe os pés numa posição um pouco mais alta que a barriga. Cuidado para não estender demais o joelho, porque impede a circulação. O segredo é colocar um travesseirinho e garantir que os joelhos fiquem levemente flexionados.

Botar as pernas para cima faz o excesso de líquido circular e não ficar parado nos tornozelos. Se puder combinar esse momento com uma massagem nos pés, aí fica perfeito mesmo (chama o marido, passa um óleo gostoso, e desfrute do carinho)!

8. Compressão

Elas esquentam um pouco, mas fazem um ótimo trabalho. As meias de compressão ajudam a circulação do sangue e evitam o inchaço nos pés e pernas. No entanto, o médico precisa indicar o uso e o grau da compressão, que não pode ser demais nem de menos. Fale com o obstetra e, se for o caso, use sem medo.

9. Drenagem

É um tipo de massagem que faz os líquidos superficiais do corpo todo circularem melhor. O resultado é um desinchaço imediato. Mas é outro recurso que o médico precisa autorizar. Embora não precise de nenhum produto químico, a técnica pode não ser indicada para mulheres com algumas condições mais delicadas, como pressão alta, diabetes, ou alguns problemas musculares. Pergunte e, se for liberada, aproveite. As sessões duram cerca de uma hora, são relaxantes e não doem nadinha.

10. Se mexa

Exercícios leves, ou moderados são ótimos adversários para o inchaço. Caminhada, natação, alongamento, yoga, ou outras modalidades que a grávida já praticava antes, ajudam a circulação a ficar poderosa e reduzem a retenção de líquidos. Os rins e o intestino funcionam melhor, a mulher dorme mais gostoso e tudo isso contribui para mais saúde e menos inchaço.

Já explicamos que inchar na gravidez é normal, não é obrigatório, dá para evitar e não costuma estar associado a nenhuma condição mais séria. No entanto, se os edemas forem excessivos e não cederem com as medidas acima, o obstetra vai começar a observar.

Exagero na retenção de líquido pode indicar Doença Hipertensiva Específica da Gravidez, também chamada de pré-eclâmpsia, que faz subir a pressão arterial da mãe e sugere alguns cuidados, como repouso e mudanças na alimentação. Apenas o médico consegue diagnosticar a DHEG, então nada de estresse. Caso seja seu caso, ele vai orientar como proceder e garantir uma reta final de gestação saudável para você e para a criança.

Todas essas dicas de saúde e qualidade de vida, que começam com entender os inchaços e terminam com as lições para evitá-lo podem fazer a diferença entre uma gravidez cheia de grilos e uma gravidez tranquila. Sempre que uma gestante está bem informada e bem acompanhada, ela relaxa e aproveita mais cada fase. Sabe o que tem de perguntar ao médico, exige descanso e massagem, fica atenta aos sinais e, quando tudo vai bem, curte com leveza cada semana daquele período especial.

É por isso que compartilhar as informações com seus amigos e familiares, usar as redes sociais para dar dicas para as amigas e espalhar boas notícias são ótimas ações. Aqui no Alô Bebê Club, você encontra informação de qualidade sobre todos os assuntos que interessam quem está tentando, quem está esperando e quem está criando filhos. Basta entrar, se cadastrar e compartilhar nas redes sociais.

TAGS
Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Continue lendo
Indicados para você