[ editar artigo]

O que é, afinal, o “tatibitati” – e qual é o seu impacto nas crianças?

O que é, afinal, o “tatibitati” – e qual é o seu impacto nas crianças?

Você já ouviu o termo tatibitati? Ele nada mais é do que a palavra usada em referência ao jeitinho engraçado com o qual alguns adultos conversam com bebês, uma linguagem infantilizada que normalmente tem como objetivo soar fofa e carinhosa para os pequenos. Pois, se você é “fluente” em tatibitati, que tal descobrir se existe algum problema em conversar assim com crianças e se isso pode afetar o desenvolvimento da fala do seu filho?

Iti malia...

O uso do tatibitati com bebês é motivo de discussão entre especialistas de todo o mundo. Isso porque, por um lado, temos os que defendem que as crianças já nascem com a linguagem “programada” em seus cérebros, uma vez que elas costumam seguir padrões parecidos quando começam a desenvolver a fala e, portanto, o emprego do tatibitati não teria, em princípio, muitos problemas.

No entanto, por outro lado há quem rejeite esse conceito, visto que diversos estudos apontaram que o emprego de frases longas e variadas, assim como o emprego de sentenças complexas – compostas por verbos, substantivos e cláusulas –, para se comunicar com crianças pode ser mais benéfico para o seu progresso no aprendizado de novos vocabulários e melhorar suas habilidades linguísticas.

Papo sério

Os bebês aprendem imitando os adultos, como todos sabem, e com relação à fala não é diferente. Embora algumas crianças “conversem” mais do que outras, elas aprendem a falar por repetição e copiando o que ouvem das pessoas de seu convívio diário – incluindo palavrinhas que não deveriam aprender, como muitos pais sabem, não é mesmo?

O tatibitati pode ser útil na hora de motivar os bebês na descoberta de novos sons, palavras e estruturas linguísticas, assim como no aprendizado da reprodução determinados fonemas. Além disso, esse tipo de comunicação pode ajudar a prender a atenção dos pequeninos.

Expor os bebês a conversas entre adultos também é importante e benéfico e, na hora de se dirigir à criança, o ideal é que os pais e pessoas próximas – como avós, tios e babás – pronunciem as vogais e consoantes de forma clara, já que isso pode ajudar os pequenos a entender a diferença que existe entre elas, e tentem falar de forma correta.

No entanto, conforme a criança vai avançando em seu desenvolvimento, falar errado propositalmente, usar palavras que não existem ou um tom de voz diferenciado pode não só ser prejudicial, como também limitar o aprendizado da fala e de novo vocabulário. Ademais, o uso inadequado e exagerado do tatibitati pode prejudicar a alfabetização e tornar a criança mais introvertida e tímida.

Dicas

As situações do dia a dia – como durante brincadeiras, a hora do banho e das refeições – são ótimas oportunidades para apresentar novas palavras aos filhos. Ler para as crianças e expô-las a músicas infantis também promove o enriquecimento do vocabulário, assim como as incentivar a contar histórias e experiências. E, se você achar aquela palavra errada ou inventada engraçadinha, em vez de repetir o equívoco, uma dica é anotar as expressões em um caderninho. Desse modo, além de não prejudicar o aprendizado do pequeno, você garante que essas lembranças adoráveis fiquem guardadas para sempre.

E aí, você é fluente em tatibitati ou se policia na hora de conversar com seus filhos? Tem alguma sugestão para os pais que estão preocupados com o desenvolvimento de suas crianças? Compartilhe conosco e fique sempre atento aos conteúdos que postamos aqui!

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Ler matéria completa
Indicados para você