Os dentes do bebê começaram a nascer. E agora?
[editar artigo]

Os dentes do bebê começaram a nascer. E agora?

Ele estava chatinho nos últimos dias. Chorando a toa, incomodado e irritado, salivando bastante e levando tudo à boca. Você chegou a achar que era alguma doença, mas quando seu filho abriu a boca deu para ver: serrinha branca na gengiva de baixo.

São os dentes do bebê nascendo! Que alegria e que preocupação. É novidade, nem sempre a gente sabe os cuidados que tem de tomar. Calma, aproveite o momento e comemore! Seu bebê está crescendo, se desenvolvendo e oficialmente virando um comilão.

Dente nascendo é prova de saúde

É verdade que cada dente que desponta causa um pequeno transtorno na vida do bebê e da família. Mas é transitório e, cuidando direitinho, não dá alteração.

Os dentes do bebê nascem, geralmente, por volta dos 6 ou 7 meses de vida. Sim, sempre tem o filho de uma amiga que teve dentes com quatro meses, e outro, perto de 1 ano. É tudo normal, se levarmos em conta outros aspectos do crescimento. Via de regra é com 6 ou 7 meses mesmo.

A dentição da infância só estará completa perto dos 3 anos de idade. Então, tranquilize-se, a jornada é longa. O bom é que depois que nascem os primeiros dentes do bebê, você perceberá que os cuidados se tornarão mais fáceis.

Se você reparar, dá para antecipar o que vem por aí. Na verdade, os sinais chegam antes. O bebê começa a babar mais do que o normal. Pode até ficar meio assado no entorno dos lábios. Se ele usa chupeta, pode realmente assar e dar alguma irritação.

O bebê leva tudo à boca e tenta "coçar" a gengiva com os objetos. É. Dói e incomoda mesmo e o bebê usa as armas que tem. A gengiva fica mais inchada e vermelha na região.

Efeitos colaterais

Por essa razão, seu filho pode perder o apetite, ter febre, nariz escorrendo e diarreia. Até o sono do bebê pode ser prejudicado. Se tudo isso aconteceu, vem dentinho novo por aí.

Depois que o incisivo irrompe, as coisas se acalmam, mas não somem de vez. Até porque, em geral, os dentes do bebê nascem em pacotes de dois ou de quatro. É uma fase mesmo. Para minimizar o desconforto com a chegada dos dentes do bebê, os pais podem oferecer mordedores. Objetos limpos e macios, de borracha ou silicone ajudam.

Se estiverem gelados melhor ainda. Talvez seu bebê não curta alimentos gelados. Não insista. Mas também não ofereça comida quente, porque incomodam mais. Morna, ou à temperatura ambiente é o ideal. Aliás, se ele aceitar comer já vai ser um tremendo lucro.

Use seu dedo, lavado e sem nenhum produto, para massagear de leve a região. Se a criança chorar, não force. Deixe ela mesma morder os dedos e outros objetos. Isso alivia o incômodo e a tensão.

Mantenha a boca do bebê seca, já que a salivação excessiva pode irritar a pele. O mesmo vale para a virilha e os genitais. O cocô e o xixi podem ficar mais ácidos por conta da saliva e assar toda a região. Reforce a troca de fraldas, a pomada e observe. Fale com o pediatra se passar do limite. O médico pode ajudar se a dor estiver excessiva e desnecessária. Não hesite em procurá-lo.

De resto, aproveite e comemore. Se tiver boas dicas, ou aprendizados para passar, conte aqui para a gente. Se cadastre e comente no post, explicando em detalhes o que ajudou na fase em que os dentes do bebê estavam nascendo. Trocar experiências ajuda muito outros pais e mães a saber o que fazer.

Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Continue lendo
Indicados para você