Quais as condições que podem impedir a gravidez?
[ editar artigo]

Quais as condições que podem impedir a gravidez?

Nada é mais frustrante para um casal do que tentar engravidar e, mês após mês, não conseguir. A mulher já se sente um pouco mãe e o homem, um pouco pai, mesmo que o bebê ainda não tenha dado o ar da graça.

Existe um período que vai de um mês a um ano em que os médicos consideram normal e esperado para o casal conseguir engravidar. Apenas após esse tempo é que se deve começar a investigar o que pode impedir a gravidez.

Em termos médicos, são cerca de dez condições que dificultam, a priori, a gestação. A boa notícia é que, identificados, são tratáveis ou contornáveis. O importante, nessa fase, é manter o foco e a paciência.

Idade

O primeiro fator a impedir uma gravidez é a idade de um dos dois, mas principalmente da mulher. Até 35 anos, se a mulher não tem nenhuma condição de saúde, a espera é mais curta. Após essa idade é comum e esperado que se demore mais de um ano para engravidar sem razão para se preocupar.

Se o homem tem acima de 45 anos, também é possível demorar um pouco mais, porque a taxa de espermatozóides diminui e a chance de fertilizar o óvulo cai junto.

Ovários

Qualquer problema nessa região é fator para impedir uma gestação. O mais comum é a Síndrome dos ovários policísticos (SOP), que atrapalha o andamento dos ciclos menstruais (atrasam, adiantam, ou até somem) e dificulta, claro, a gravidez.

Outras alterações ovarianas, como tumores, ausência de óvulos, ou falência precoce, também aparecem na lista de problemas que podem impedir a gravidez.

Todos esses casos devem ser diagnosticados pelo ginecologista através de exames que detectam a presença e a taxa de determinados hormônios no sangue e observação do ciclo menstrual da mulher. O tratamento também é através de ingestão de hormônios.

Endometriose

É uma doença que atinge cerca de 20% das mulheres e, no início, costuma ser assintomática. Por isso, só é descoberta quando a mulher deseja engravidar e não consegue.

Endometriose é a presença de endométrio, aquele tecido que reveste o útero e é mandado embora durante a menstruação, em outros órgãos. Ovários, intestino, bexiga e trompas podem ser atingidos, dificultando a gestação.

Quando a doença está mais avançada, provoca dor permanente no abdômen e desconforto durante a relação sexual. É identificada com exames de sangue específicos, ultrassom e ressonância magnética. Dependendo da extensão, a endometriose pode ser tratada com ingestão de hormônios ou com pequenas cirurgias de reparação.

São condições que dificultam, mas não chegam a impedir a gravidez. Depois do tratamento, vida normal e bebê a caminho.

Obstrução tubária

É uma condição mais rara, mas pode ser o impedimento para a gestação. Para alcançar o óvulo, o espermatozóide passa pelo útero e precisa atravessar a trompa de falópio (que liga o ovário ao útero). Algumas mulheres, no entanto, têm as trompas obstruídas, impedindo os dois gametas de se encontrarem e, portanto, a gravidez de acontecer.

É possível desobstruir as trompas com medicamentos, em caso de inflamação, ou com pequenas cirurgias específicas. Depois do procedimento, não há contraindicação para tentar uma gestação.

Miomas

Cerca de 50% das mulheres apresentam miomas, que são crescimentos desordenados de algumas células. Em geral, esses corpos não podem impedir a gravidez. Mas existem casos em que alteram o funcionamento do útero e aí dificultam a fecundação e a manutenção da gestação.

Os miomas são facilmente identificáveis com exames de ultrassom e podem ser tratados com hormônios, ou retirados com laparoscopia, que não deixam sequelas e nem impedem uma futura gravidez.

Hormônios

Alterações na tireoide, uma glândula que produz hormônios que regulam o metabolismo, podem sim dificultar a gravidez. Sempre que o ginecologista pede a dosagem dos hormônios da tireoide é justamente para saber se está tudo correndo bem.

Caso você tenha algum desequilíbrio nesses hormônios, primeiro estabilize e só depois parta para as tentativas de engravidar. Seu médico pode indicar um endocrinologista que é o especialista na área.

O tratamento é tranquilo, basta tomar os hormônios na dose certinha e confiar. Quando eles estão equilibrados, não impedem a gravidez. O mesmo vale para o aumento desmotivado de prolactina, o hormônio que incentiva a amamentação, porque ele muda o funcionamento dos ovários.

Quando a mulher está amamentando é natural que o corpo dificulte uma nova gestação, para que ela se dedique ao filhote já nascido. Mas, se não é esse o caso, os níveis elevados complicam a vida das tentantes. Solução? Tratamento hormonal para normalizar os índices. Aí sim, a gravidez pode acontecer.

Incompatibilidade imunológica

É a condição mais curiosa de impedimento de gravidez. Não é tão incomum e explica a maioria dos casos de aborto de repetição, quando a mulher engravida e perde sucessivamente. É como se o organismo da mulher não reconhecesse o embrião e trabalhasse para expulsá-lo dali. A boa notícia é que há tratamentos específicos, com medicamentos e hormônios, que revertem o quadro e permitem que a gravidez aconteça.

Já tratamos de outras condições que podem impedir a gravidez. Infecções no sistema reprodutivo, estar passando por tratamentos fortes, como quimioterapia, ou infertilidade do parceiro.

Nesses casos, o indicado pelos especialistas é: terminar o tratamento, deixar o organismo bem equilibrado, e só então voltar a tentar. Para conhecer e receber os conteúdos sobre esses e outros fatores que dificultam a gestação, ou que tiram o sono dos tentantes, se cadastre em nosso site.

É rápido, permite o acesso aos nossos posts e, ainda, trocar experiências e conhecer as histórias dos outros pais e mães que passam por aqui.

Estilo de vida também interfere: pais e mães que fumam, bebem e são sedentários ou estão acima do peso, demoram mais para engravidar. Se você quer ficar por dentro de todo esse universo, corra e se cadastre aqui.

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Continue lendo
Indicados para você