Quais as doenças mais comuns em crianças durante o verão?
[editar artigo]

Quais as doenças mais comuns em crianças durante o verão?

Embora o Brasil tenha um clima quente quase o ano todo, é no verão que as crianças podem brincar mais ao ar livre e aproveitar a praia, a piscina, a cachoeira e outras boas farras. Elas estão de férias e, às vezes, os pais também, então o tempo para curtir aumenta.

A parte chata é que com a curtição toda, o verão às vezes traz, como efeito colateral, aquelas doenças mais comuns em crianças.

Nada grave, que mereça preocupação exagerada ou que deva ser impedimento para seu filho brincar bastante. Trancar a criança em casa não afasta as doenças e é muito frustrante para ela. Melhor que fugir das doenças mais comuns em crianças é conhecer o que pode fazer mal e aprender a prevenir, ou tratar.

Preparamos uma lista com todas as características das doenças mais comuns em crianças. Você pode imprimir e levar na carteira, ou pode compartilhar com todo mundo via redes sociais. Você escolhe! ;)

Infecções intestinais

A maior incidência de doença típica de verão é diarreia e vômito. Embora comum, não é bobagem. São as duas principais causas de desidratação e internação. Então fique esperto e, pintando por aí, fale com o médico.

Pode ser causada por vírus — o famigerado rotavírus — ou por bactéria, por intoxicação alimentar. As crianças pegam bebendo água contaminada ou convivendo com outras crianças doentes, ou comendo algo estragado, coisa bem comum no verão, porque no calor, os alimentos passam do ponto rapidamente.

Se a criança tiver mais de um episódio de vômito ou diarreia, vale a pena um papo com o pediatra e tratamento com soro caseiro (um copo de água + 1 colher de sobremesa rasa de açúcar + uma pitada generosa de sal), água de coco e outros líquidos.

Se os incômodos não cessarem, vale um pulo no pronto socorro para hidratar. Para prevenir, atenção redobrada à alimentação e água só filtrada ou fervida.

Impetigo, alergia e outras doenças de pele

Pele úmida e quente por conta de praia, piscina ou suor é um convite à proliferação de bactérias. Se tiver algum machucadinho ou brotoeja, melhor ainda — para as bactérias, claro! Brotoeja, impetigo, assaduras e alergias aparecem da noite para o dia e merecem algum cuidado.

Brotoeja é uma irritação causada pelo calor e pelo suor. A pele fica cheia de bolinhas vermelhas e ásperas. Os poros se dilatam um pouco e pode coçar e arder. A assadura está ligada à fralda úmida. Calor, escuro e matéria orgânica abundante faz a festa das bactérias. A pele do bebê fica vermelha e áspera. Pode arder e incomodar também.

Já as alergias de pele são causadas por ingestão ou contato com algum produto que o corpo não tolera bem. Preste atenção ao que a criança comeu e aos cremes e produtos de higiene usados nela. Suspenda o uso e fale com o pediatra para se certificar da necessidade de medicar com antialérgico.

O impetigo é uma daquelas infecções oportunistas. As bactérias grudam em machucados ou outras irritações da pele e deixam a região com pequenas manchas ou pontos vermelhos ou até pequenas bolhas com pus. Depois secam e formam uma casca amarelada. Não doi, mas coça.

Para todas essas doenças comuns em crianças no verão, o tratamento é falar com o pediatra, ministrar os medicamentos apropriados e redobrar a higiene no local.

Para prevenir, procure deixar a pele da criança sempre seca e limpa, com roupas que permitam a respiração da pele e leves. Caso apresente algum machucado, ou irritação, lave com água e sabão e mantenha seco e aberto para respirar.

Insolação e Intermação

A gente fica de olho, reaplica o filtro solar sempre e insiste para eles beberem água e outros líquidos. No entanto, mesmo com toda essa atenção, uma das doenças mais comuns em crianças no verão é a insolação. O excesso de exposição ao sol sem proteção causa queimaduras na pele, que ardem e provocam bolhas, febre e desidratação.

A prima da insolação é a intermação, que acontece quando a criança não ficou no sol, mas num lugar muito quente. Dá febre, prostração, vômito e desidratação. Para prevenir, redobre os cuidados: chapéu, protetor, roupa anti raios uvA e uvB. Água e outros líquidos a cada hora e sombra.

Mas se, ainda assim, seu filho adoecer por conta de excesso de sol ou calor, deixe ele descansar, ofereça líquidos, alimentos refrescantes e fale com o médico para tratar a queimadura e reduzir as dores com analgésico, se necessário.

Conjuntivite

Um clássico do verão. Olhos vermelhos, ardendo, cheios de secreção e com sensibilidade à luz. Ela é causada por um vírus chatinho, mas sem perigo.

Para tratar, compressas de soro fisiológico gelado e lavar bem as mãos para não passar para o outro olho e para os amigos. Normalmente, passa sem necessidade de medicar. E para prevenir, ensine seu filho a não colocar a mão suja no olho, não coçar e nem esfregar as pálpebras.

Otite, amigdalite e outras ites

São infecções bacterianas, doenças comuns em crianças, principalmente quando a resistência cai por algum motivo. Não há muito como prevenir, mas é possível tratar assim que aparece. No caso da otite, dá para fugir colocando touca e protetores de ouvido na criança sempre que for nadar. E nada de faxinar o canal auditivo. A cera interna é importante para proteger a região.

Seu filho certamente terá febre, dor no local da infecção e moleza. O apetite some e vem uma certa irritação no lugar. Em geral fica assim porque farreou bastante e chutou a rotina para longe. Acontece. Faz parte do verão. Fale com o pediatra e inicie o tratamento segundo as recomendações.

Prevenção: coloque touca ou protetores de ouvido quando os pequenos forem nadar, seque bem o ouvido deles quando saírem da água e tenha cautela ao limpar o ouvido, seja com hastes flexíveis ou na hora do banho. O cerume é importante para proteger o ouvido.

Dengue

Essa é a notícia que a gente não gosta de dar. Os mosquitos estão aí e uma picada inocente pode transmitir dengue. Não é exatamente uma doença comum, mas acomete várias crianças no verão.

Os sintomas são difíceis, porque se confundem com o de outras doenças. Febre alta repentina, dor de cabeça, ao redor dos olhos, nos músculos e articulações. A criança pode ter diarreia, enjoo, perda de apetite e manchas vermelhas na pele.

Para prevenir, cubra os pontos de água parada em casa. Pratinhos, vasos e objetos que juntem água da chuva. Assim, o mosquito não põe os ovos perto da sua família. Telas nas janelas, mosquiteiro no berço e repelente pediátrico ajudam muito também. Tudo que mantém o mosquito longe é bem-vindo.

Se os sintomas, ainda assim, aparecerem, o caminho é o hospital. O tratamento é específico e não pode ser com qualquer remédio. Há, inclusive, medicamentos proibidos.

Micose

Outra das doenças comuns em crianças. Causadas por fungos, têm relação direta com o excesso de umidade da pele. Situação comum do verão.

As mais comuns são aquelas que apresentam manchas esbranquiçadas, acastanhadas ou vermelhas e que descamam a pele. Podem coçar ou arder, mas não é obrigatório.

Se aparecerem, é necessário de falar com o pediatra, porque o tratamento é medicamentoso e você não pode interromper no meio. Para prevenir, evite deixar os meninos e meninas com roupas molhadas, seja de água do mar, piscina, ou mesmo suor. Saiu da piscina, roupa seca. Troque a fralda com mais frequência também.

Ficar por dentro dos sintomas e da forma como as doenças começam é o primeiro passo quando o assunto é o cuidado com as doenças mais comuns em crianças. Se você gostou deste conteúdo, então compartilhe com seus amigos e parentes nas suas redes sociais. Vamos juntos ajudar a deixar as crianças saudáveis e os pais mais tranquilos para um verão com menos doenças.

Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Continue lendo
Indicados para você