[ editar artigo]

Quais os principais sintomas e testes para saber se está grávida

Quais os principais sintomas e testes para saber se está grávida

Quando um casal toma a decisão de engravidar, uma das mais delicadas e bonitas da vida, a ansiedade bate no teto e qualquer sensação diferente faz a mulher achar que está grávida.

Qualquer dor de cabeça, ou sonolência, ou desejo de comer picolé de limão, ou lasquinhas de tijolo fazem o casal vibrar com a possibilidade de o herdeiro já estar a caminho.

Quando o casal não estava planejando, mas o risco de ter engravidado bateu na porta, por descuido ou surpresa, também é possível que a mulher pense que está grávida por qualquer sinal.

Acontece que mesmo quando todas as condições estão absolutamente favoráveis, a chance de engravidar gira em torno de 25%, segundo os especialistas.

Por isso mesmo, é normal demorar entre um ano e um ano e meio para ficar grávida. Pode até vir antes, mas pode demorar um pouquinho.

Por tudo isso – seja qual for a sua situação – é bem importante conhecer os verdadeiros sintomas de uma gravidez e também os exames que podem confirmar se a mulher está mesmo grávida.

Como nesse universo, as crendices populares e as tradições seculares ainda falam alto, vale a pena conhecer o que a ciência e a medicina reconhecem, para não criar falsas expectativas na futura mamãe.

O começo do começo

A concepção acontece – se tudo é bem regular no ciclo da mulher – por volta do 14º dia após o início da menstruação. Pode ser um ou dias antes ou um ou dois dias depois.

Quando a concepção acontece mesmo, há mulheres que juram ver um clarão, ou sentir cheiro de flores, ou ainda, sonhar com um bebê. Mas a certeza de que se está grávida dificilmente vem nesse momento.

Assim, sentir um típico sintoma de gravidez logo após a relação sexual – mesmo que a concepção tenha acontecido – pode ser mais influência da vontade, do que das transformações do corpo.

Ninguém deve contrariar uma mãe que jura ter certeza de que soube que estava grávida desde o momento zero, mas a ciência não atesta.

Os primeiros sinais começam a aparecer cerca de 14 dias após a concepção. O primeiro e mais clássico é o atraso menstrual.

Pode tanto não haver sangramento nenhum – e aí é fácil desconfiar que está grávida, como aparecer um micro sangramento, cor marrom escuro – que pode até confundir a grávida. Ela acha que é menstruação, mas o sangramento não prossegue.

O primeiro mês

Se o ciclo menstrual da mulher não é muito regular, algum atraso pode ser normal. Por isso, vale a pena checar alguns sintomas antes de desconfiar que está grávida.

Cólicas e sensação de inchaço no pé da barriga e no abdômen podem ser sugestivos para gravidez. Como são sintomas muito difusos, podem não ser nada também.

Nessa fase, algumas mulheres se queixam de dor, inchaço e incômodo nos seios. Esse sim é um sintoma a se observar.

Mais sintomas

Agora vem aquele sintoma clássico que faz toda mulher achar que está grávida: náuseas e vômitos.

Junto com eles, falta de apetite e azia.

E se for gravidez mesmo, prepare-se. Essas sensações seguirão com a grávida no início da gravidez e, eventualmente, até o finalzinho dela.

Cansaço e sono anormal também são sintomas de gravidez. A culpa é dos hormônios, que deixam o organismo preguiçoso e obrigam a mulher a descansar.

O único remédio nesses casos é obedecer.

Os hormônios também podem provocar tontura. É importante estar bem alimentada e hidratada e não abusar. Cair e desmaiar por conta da tontura não é uma boa ideia nessa fase.

Como comprovar a gravidez?

Se, ao sentir tudo isso a mulher fizer as contas, repassar a memória e perceber que pode mesmo estar grávida, é legal marcar uma consulta com o obstetra.

Os exames de farmácia são, hoje em dia, muito precisos. Dá para fazer e confiar no que eles apontam.

O ideal é usar a primeira urina do dia, por ser mais concentrada. E só dá para usar o exame de farmácia após o primeiro dia do atraso menstrual.

Antes disso, a chance de dar negativo é muito grande, mesmo que a mulher já esteja grávida. Por isso, o ideal é segurar a ansiedade e fazer o exame depois de alguns dias do atraso menstrual.

Nesse ponto, se tudo correu de acordo com o calendário mais comum, o atraso menstrual é notado na segunda semana depois da concepção, mas na quarta semana de gestação, de acordo com a medicina.

Isso porque o dia zero da gravidez, para os médicos e para a ciência, é o primeiro dia do último ciclo menstrual. Ou seja, no primeiro dia de atraso menstrual, você estará grávida há 28 dias.

É meio maluco, mas faz sentido. Porque o corpo da mulher se prepara para a gestação antes mesmo de ela acontecer.

Voltando aos exames, se a menstruação atrasou e você fez o teste de gravidez, corra para o abraço e, depois de comemorar muito, marque o obstetra para iniciar o pré-natal.

Se deu negativo, mas a menstruação ainda não veio, marque um ginecologista para fazer alguns exames e até para confirmar se está grávida com outros exames.

O teste de farmácia pode sim, em casos raros, dar falso negativo.

Além do exame de farmácia, é possível fazer um exame de sangue que mede o hormônio beta HCG. O nível dessa substância no sangue indica se a mulher está grávida e, se sim, de quantas semanas.

Os médicos confiam bastante nesse exame e costumam pedir para as suas pacientes, mesmo que o teste de farmácia tenha sido positivo.

O exame seguinte que ajuda a confirmar a gravidez é a ultrassonografia. Esse exame por imagens pode ser feito via abdominal ou via transvaginal.

Nenhum dos dois machuca o bebê ou causa risco para a mãe ou para a gestação em si.

E agora? Já dá para saber se isso aí que você, ou sua melhor amiga, está sentindo é gravidez mesmo? Então corre lá para fazer os exames.

Independentemente do resultado, que tal compartilhar pelas redes sociais o conteúdo desse post e dos outros posts da nossa comunidade entre suas amigas e familiares que estão grávidas, ou então tentando engravidar.

Conhecer bem os sintomas da gravidez pode ser de grande ajuda para as mulheres, porque reduz a ansiedade e aumenta a curtição dessa fase tão bonita e especial.

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Ler matéria completa
Indicados para você