[ editar artigo]

Tudo que você queria saber sobre cesárea e não tinha para quem perguntar

Tudo que você queria saber sobre cesárea e não tinha para quem perguntar

O parto e tudo que cerca esse momento especial e delicado é um assunto que costuma gerar muita dúvida. O que a gente faz com essas questões que as mães, os pais e o pessoal que apoia a chegada do bebezinho na família mandam? A gente seleciona, organiza e vai atrás das respostas.

Foi exatamente assim que a gente coletou as perguntas sobre cesárea e preparamos um guia definitivo para tirar os fantasmas da sua cabeça.

A cesárea, cesariana, ou ainda parto cesárea, é uma técnica bem antiga e muito utilizada em todos os países do mundo. Dizia a lenda que o nome se deve ao nascimento de César, imperador de Roma, décadas antes de Cristo, que teria sido por um corte na barriga de sua mãe.

Na verdade mesmo, cesárea vem do verbo latino caedere, que significa cortar. Mas, sim, já era um método utilizado com algum sucesso desde o Império Romano. Tudo isso para lembrar que se você vai passar por uma cesárea, os médicos sabem há muito tempo o que fazer e como fazer.

O parto cesárea é um procedimento seguro?

A próxima informação que você precisa ter sobre a cesariana é que trata-se de uma cirurgia. Com tudo que uma cirurgia tem direito: jejum, anestesia, corte, sutura e recuperação.

Ninguém deve enganar a gestante dizendo que é um procedimento bobo, como arrancar um dente. Não é. Envolve os riscos e os benefícios que uma operação traz. Por ser um procedimento mais invasivo que um parto normal, só deve ser indicada em caso de necessidade.

Os médicos brasileiros fazem cesarianas há muito tempo, têm técnicas avançadas e sabem resolver as situações mais delicadas. Se seu obstetra optar por um parto cesárea, converse bastante, tire suas dúvidas e confie na escolha dele. Há razões para preferir um parto cirúrgico.

Quando a cesárea é indicada?

Por ser uma cirurgia, a cesárea é indicada para casos mais delicados ou complicados. Por exemplo, se a mãe tem alguma doença do coração, diabetes ou desenvolveu pressão alta durante a gestação, chamada de DHEG ou pré-eclâmpsia.

Há situações na gestação que merecem uma cesariana também: placenta prévia, sangramentos, riscos na hora parto, Síndrome Helpp e outros casos mais raros.

Quem avalia e decide é o obstetra, levando em conta a saúde da mãe e do bebê. Claro que a opinião da mulher deve ser levada em conta e é preciso fazer valer esse direito. Se você preferir uma cesárea mesmo sem indicação médica, vá adiante.

Por que algumas mães optam pela cesárea mesmo sem indicação médica?

Primeiro, porque é um direito escolher como seu filho vai nascer. Segundo, porque há mulheres que se sentem mais seguras com uma data marcada para a chegada do bebê; com a certeza de que seu obstetra — que acompanhou a gestação toda — estará lá; num ambiente hospitalar com recursos modernos; e porque não pretende sentir as dores do trabalho de parto.

E quais são os riscos e as desvantagens do parto cesárea?

Por ser uma cirurgia, há os riscos padrões de um procedimento cirúrgico: hemorragia, anemia e trombose. Quando a cesárea é indicada para mulheres que têm alguma condição prévia de saúde, os riscos crescem um pouco.

Mulheres com problemas cardíacos podem ter problemas de circulação e cicatrização; a respiração pode ficar frágil e pode ser necessário entubar a mãe para garantir a oxigenação. Tudo isso, é o obstetra quem vai observando e tomando as decisões necessárias.

Quanto tempo dura a cesárea? A mulher sente alguma dor?

Se tudo correr bem, o preparo leva uns 30 minutos; a cirurgia propriamente dita dura cerca de uma hora. Despois vem a sutura, a limpeza e a finalização do processo, que demora mais uma meia hora. Ou seja, em 2 horas, o bebê nasceu e a mãe é encaminhada para a sala de recuperação. Ali leva mais 2 horas, para que volte a sentir as pernas e a se movimentar minimamente.

Neste período, ela fica de sonda para não precisar fazer xixi e com soro para não sentir fome nem sede. Durante a cesárea, a mulher não sente dor e nem pode se mexer da cintura para baixo. Essa situação é passageira.

À medida que a anestesia vai indo embora, a sensibilidade e o controle motor voltam. Demora um pouco, mas não deixa prejuízo. Depois que a anestesia vai toda embora, a cicatrização pode trazer dor e desconforto, que são controlados com analgésicos.

Quando eu vou ver o bebê?

Se correr tudo bem e seu obstetra tiver uma pegada mais humanizada, assim que ele sair da barriga, será colocado no seu colo e poderá, inclusive, ser amamentado. A cesárea humanizada ainda permite que a sala esteja menos fria, a luz menos forte, pode rolar uma música escolhida pela mãe, e o pai pode cortar o cordão umbilical e dar banho no recém-nascido.

Se acontecer qualquer intercorrência, como o neném nascer cansado, ou se tiver engolido mecônio, aí ele é levado para a observação e fica sob os cuidados do pediatra neonatologista.

Como é a recuperação?

Mais lenta e mais dolorida. No entanto, acontece num hospital, com todo o cuidado necessário, atendimento médico e de enfermeiras que conhecem bem aquela realidade e podem dar grande ajuda. Em geral, o corpo demora um pouco mais para voltar ao normal do que o parto normal, porque houve cortes e suturas.

Nada disso, no entanto, impede de levantar, se mexer, tomar banho, amamentar o bebê e aprender os primeiros cuidados de puericultura. Depois, lentamente, dá para retomar as atividades comuns. O médico vai liberando semana a semana.

O bebê sofre algum risco quando nasce de cesárea?

Há os riscos normais do parto seja por cesariana ou normal, como a respiração não ajustar rapidamente, o bebê demorar para ganhar tônus e precisar de cuidados especiais. São raros os casos e não depende da via do parto, são possibilidades do nascimento.

Descartados esses, a cesárea apresenta uma pequena chance de trazer ao mundo um pré-maturo, porque obedece o calendário da gestação e não a natureza, que às vezes prega peças.

A mulher pensa que está na 38ª semana, mas a ovulação atrasou um pouco e o bebê tem características de 36 semanas, por exemplo. Seria considerado um pré-termo, com riscos de ter dificuldade na respiração, na manutenção da temperatura e nos mecanismos de sucção.

É importante reforçar que é raro essa situação acontecer, já que os exames de ultrassom apontam o grau de desenvolvimento do bebê. A cesárea em si não impõe desconforto, dor ou risco para o recém nascido.

E aí, deu para esclarecer?

O Alô Bebê Club está aqui para isso, para ajudar as famílias a cuidarem bem das mães, dos pais e dos bebezinhos. Suas dúvidas são importantes porque ajudam outros pais e mães a esclarecer suas questões.

Faça como outros leitores que estão tentando, têm filhos pequenos, ou filhos maiorzinhos: se cadastre aqui para receber os conteúdos exclusivos. Você pode ler, compartilhar nas suas redes sociais e contar sua experiência. Um ajudando o outro e fortalecendo os vínculos dentro da família e da comunidade.

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Ler matéria completa
Indicados para você