[ editar artigo]

Conheça os 6 maiores erros na hora de preparar papinha!

Conheça os 6 maiores erros na hora de preparar papinha!

Depois de alguns meses de vida, surge a necessidade de introduzir novos alimentos na dieta do bebê. A passagem do aleitamento materno para esse segundo momento é cheia de dúvidas! É preciso encontrar uma fonte segura de energia, vitaminas e minerais: as tradicionais e poderosas papinhas!

Fazer essa tradicional receita pode ser muito simples, basta saber exatamente o que evitar!

Pensando nisso, selecionamos informações importantes e uma lista com os 6 principais erros que os pais cometem na hora de preparar as papinha dos pequenos! Confira:

Existe um momento certo de introduzir alimentos sólidos?

Não há uma regra! Tudo depende da rotina familiar e o desenvolvimento do pequeno. O primeiro passo é levar o bebê ao pediatra para que ele avalie o crescimento, a velocidade de ganho de peso, estatura, a quantidade de urina, se o bebê está evacuando adequadamente, se o sono é suficiente e o humor.

Com todos os dados em mãos, será a hora de discutir as condições práticas da família, como o retorno da mãe ao trabalho e a possibilidade de manter a amamentação exclusiva. De qualquer forma, tanto a Academia Americana de Pediatria como a Sociedade Europeia de Gastroenterologia e Nutrição Pediátrica tem como padrão para a introdução de alimentos, o seguinte lema: nunca antes das 16 semanas e nunca mais tarde do que as 24.

Por onde começar?

Muitas pessoas pensam automaticamente em introduzir o suco de frutas na rotina do bebê para depois começarem a preparar as famosas papinhas. No entanto, a Sociedade Brasileira de Pediatria não recomenda o uso de sucos de frutas e sim a oferta imediata da fruta na forma de papas!

E por que isso? Estudos demonstram que o consumo de sucos de frutas, além de outras bebidas açucaradas, colaboram com a obesidade e baixa estatura em crianças. É cientificamente comprovado que bebidas naturalmente doces contribuem para o desenvolvimento do diabetes tipo 2.

O que devo evitar: 6 erros mais comuns

Preparar papinhas com azeite

O azeite é um ótimo alimento e podemos sim incluí-lo na dieta do bebê, mas em relação a preparação, é preciso ter um cuidado especial. É importante ficar atento ao aquecimento deste alimento, pois ele nunca pode chegar ao ponto da fritura! Dependendo do fogo, o azeite perde suas propriedades e passa a ser prejudicial ao invés de benéfico à saúde do bebê. Sabemos que é natural aquecer uma quantidade de óleo para fritar a cebola e o alho nas receitas, mas é justamente nessa hora que o azeite precisa ser evitado.

O ideal é colocar o azeite na papinha, quando ela já estiver prontinha para ser servida!

Esquecer um grupo de alimento

Hoje, o ideal é que as papinhas ofereçam cereais, arroz, batata, mandioca e massas, complementados com carnes (de vaca, porco, peixe ou frango), além de legumes e verduras. Cada um desses grupos possui propriedades fundamentais para o crescimento saudável do pequeno.

Bater a papinha no liquidificador ou passar na peneira

Amasse as frutas e legumes apenas no garfo! Dessa forma, parte da consistência deles será mantida e quando a crianças colocar o papa na boca, poderá reconhecer as diferenças entre os alimentos, e começar a desenvolver a mastigação. Além disso, passar os alimentos por um triturador irá tirar todas as fibras presentes em sua composição! Amassá-los mantém seus nutrientes!

Congelar papinhas no congelador

As papinhas podem ser congeladas apenas no freezer, e não no congelador.

A diferença crucial está na temperatura, um freezer atinge 18 graus negativos, enquanto o congelador atinge apenas seis. Essa temperatura mais baixa alcançada pelo freezer é de extrema importância quando se pretende preservar os nutrientes dos alimentos. Caso o congelamento seja feito de forma incorreta, a saúde do bebê pode ser comprometida!

Mas se você tem um freezer, lembre-se que assim como um congelamento bem feito, o armazenamento e o descongelamento precisam ser feitos de forma correta para não danificar as papinhas.

Não deixar o filho tocar na comida

Sabe aquela cena clássica com o bebê fofinho cheio de papinha na testa, nas roupinhas, no cadeirão, mas super feliz? Então, é assim que deve ser! Às vezes, para evitar a sujeira, alguns pais e mães não deixam que os pequenos toquem na comida. Mas esse hábito é importante! É neste momento de exploração que o bebê reconhece novas texturas, movimentos e cores. Por isso, é recomendado deixar que o filhote prove a comida com as mãos, se lambuze, e tente comer sozinho até conseguir acertar a boca! Tirando que ele se divertirá bastante, e pode render ótimas fotos!

Não exagere no tamanho do prato

O bom senso e a experiência, com o tempo, devem prevalecer. Os volumes serão determinados pela aceitação do pequeno. A cada refeição, observe a reação do bebê. O aumento deve ser gradativo e lento, sem pressa. A nossa dica é: pense na apresentação dos elementos, no bom aspecto do prato e no tempero compatível com a idade da criança e hábito da família. Tudo deve estar colorido, chamativo, feliz e saboroso!

Pode parecer trabalhoso, mas nós garantimos que quando o seu bebê terminar o primeiro prato, o seu coração se encherá de orgulho! Para incentivar mamães e papais que podem estar inseguros, separados boas razões para fazer a sua própria papinha:

É mais econômico do que comprar! Sempre um bom motivo!

Arrisque-se na cozinha! Você pode descobrir um novo hobby

Variedade de alimentos frescos e saudáveis. Seu filho comerá muito mais frutas, legumes, carnes, aves e peixes em papinhas que existem a venda no supermercado.

A prática leva a perfeição, logo estará cozinhando de olhos fechados

Será mais elo inquebrável entre você e seu pequeno!

IMPORTANTE

A neofobia ou o medo do novo é uma característica comum de todas as espécies e com a criança ocorre o mesmo. Não tenha preocupação com a recusa logo na primeira vez, isso é esperado! Ofereça e vá tentando com o famoso jeitinho de mãe!

A Alô Bebê quer saber: como você o costume de preparar as papinhas para o seu filho? Já passou por alguma dificuldade ou tirou de letra? Comente e compartilhe a sua experiência conosco!

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Ler matéria completa
Indicados para você