[ editar artigo]

Bebê pode comer gelatina?

Bebê pode comer gelatina?

O período de introdução de alimentos sólidos na dieta do bebê é bastante complicado, já que muitas vezes os pais não sabem muito bem o que podem ou não oferecer para os filhos. Uma das opções que acaba sendo servida para as crianças, nesses casos, é a gelatina, mas será que isso é apropriado para um bebê? Falaremos sobre esse assunto agora.

Informações sobre a gelatina

Gelatinas são consideradas alimentos fáceis por alguns pais e, por serem bastante coloridas, terem um sabor agradável ao paladar do bebê e de certa forma ajudarem na sua hidratação, acabam entrando na dieta das crianças.

O problema está no momento em que ela pode começar a fazer parte da alimentação. Geralmente, aos 6 meses de idade, a dieta infantil começa a mudar, com o bebê aceitando melhor os alimentos mais sólidos.

LEIA MAIS Os 5 alimentos que não podem faltar em uma dieta para gestante

Como a gelatina é de fácil ingestão, muitos pais começam a servi-la, mas vários pediatras e nutrólogos acreditam que o ideal é apresentar esse alimento a partir de 1 ano de idade, com alguns especialistas acreditando ser melhor esperar até mais e só oferecer a gelatina após a criança completar 2 anos de idade.

Isso acontece pelo fato de gelatinas industrializadas terem pouco valor nutritivo e serem bastante carregadas de açúcares e adoçantes, além de corantes. Por esse motivo, é apropriado que o bebê seja examinado por um pediatra para prevenir possíveis alergias a essas substâncias antes de começar a consumi-las.

É importante saber moderar

A criança geralmente aceita bem a introdução de gelatina à dieta devido ao fato de ser chamativa por suas cores, seu sabor doce e ficar sempre se mexendo, algo que o bebê pode achar divertido. Mas é importante que ela não se torne base da dieta do dia a dia do pequeno.

A nutricionista do Hospital Bandeirantes, Patrícia Ramos, acredita que crianças de 2 anos devem consumir gelatina de 2 a 3 vezes por semana, em um copo de 100 ml. Segundo a especialista, mais do que isso pode ser um exagero.

Mesmo assim, não é necessário ver o alimento como um inimigo na dieta do bebê, apenas saber moderar a quantidade servida. Reduzir o consumo é apenas uma solução, mas uma alternativa interessante pode ser preparar a gelatina de uma maneira mais saudável para seu filho.

Em vez de utilizar os produtos industrializados, você pode preparar receitas usando gelatina natural, sem sabor, e misturá-la com suco de frutas. Dessa forma, a alimentação do seu bebê fica mais equilibrada, com açúcares naturais e a mesma textura da qual os pequenos gostam.

A nutricionista afirma que o melhor a ser feito pelos pais é adiar ao máximo possível o contato dos filhos com alimentos doces e repletos de substâncias artificiais. Ramos orienta que as gelatinas edulcorantes, que contêm adoçante, sejam restritas a diabéticos.

LEIA MAIS7 dicas para fazer seu filho comer mais frutas e verduras

Tendo isso em mente, você pode apresentar gelatina ao seu bebê, mas de uma forma mais consciente. Além disso, pode aproveitar para usar a sua criatividade e criar sobremesas mais apropriadas para seu filho usando gelatina sem sabor ou de origem vegetal.

Você já tem alguma ideia de receita? Então compartilhe conosco nos comentários.

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Ler matéria completa
Indicados para você