[ editar artigo]

Qual é a melhor forma de organizar o guarda-roupa do bebê?

Qual é a melhor forma de organizar o guarda-roupa do bebê?

Quando o livro "A mágica da arrumação", da consultora japonesa Marie Kondo, chegou ao topo da lista de mais vendidos no mundo, muita gente se espantou. Afinal, a escritora gastou uma centena e meia de páginas para falar de… arrumação do guarda-roupa.

No entanto, aí é que mora o engano em relação à obra de Kondo e à grande sacada que ela teve. A ideia da japonesa é de uma simplicidade genial, bem ao gosto dos orientais. Quando você organiza o lado de fora da sua vida, automaticamente organiza o lado de dentro também.

Primeiro, separa o que serve do que não serve mais. Depois, classifica pela necessidade de uso e de frequência. Por fim, arruma de forma a facilitar o acesso e a manutenção daquela organização.

Parece que ela está falando de casacos e de calças, certo? Mas Kondo está mesmo é tratando de relações, sentimentos e comportamentos. Essa mesma lógica vale, acredite, para a arrumação e a organização do guarda-roupa do bebê. Não pense que é exagero.

Acompanhe o raciocínio

Além das mil alegrias e emoções misturadas, o bebê vem com um pacote de tarefas que os pais e os cuidadores precisam cumprir, porque o pequenino é absolutamente vulnerável e precisa dos adultos da casa. Faz parte do jogo. Em português bem claro: bebê é bom demais, mas dá um belo trabalhão.

Isso significa que, para os pais não se perderem na rotina tão sobrecarregada da criação e da educação dos filhos, o ideal é, desde o começo, manter a vida do bebê muito bem organizada.

Já valendo a máxima de Marie Kondo: vida organizada por fora garante vida organizada por dentro. No caso de pais de bebês, isso significa um tremendo adianto no expediente, fora que coloca cada emoção no devido lugar e ajuda a manter a serenidade e a paz de espírito.

Saindo da filosofia e entrando nos termos práticos, vamos aprender a organizar o guarda-roupa do bebê para manter a vida mais tranquila e menos sobrecarregada. Esse processo deve começar no terceiro trimestre da gravidez. Assim, dá tempo de sobra para limpar, secar e deixar tudo pronto para quando o bebê voltar da maternidade.

Antes de começar a usar o guarda-roupa do bebê, é importante limpá-lo por dentro, assim como as gavetas também. Pano úmido e álcool bastam. Evite produtos de limpeza que podem deixar resíduos e/ou cheiro forte e causar alguma alergia no bebê.

Depois que a parte interna do armário estiver limpa, aí começam a entrar as peças do enxoval. Por isso, não vale a pena fazer muito no início da gestação.

Comece lavando cada peça do enxoval com sabão líquido e neutro. Deixe secar bem, passe e separe por tamanho. Primeiros as de recém-nascido, depois as roupas tamanho P, M e G, e assim por diante.

Esse é um bom momento para cortar a etiqueta que pode incomodar a pele delicada do neném. Mas cuidado para não misturar as roupas, porque sem a etiqueta é mais difícil separar.

O passo seguinte é guardar as peças no guarda-roupa do bebê. No cabideiro vão os macacões do tamanho RN até 3 meses (ou P). Se tiver espaço, coloque também os casacos e vestidos mais pesados. Se ainda for possível, inclua os macacões e casacos de tamanho M. Isso deixará sua arrumação em ordem até os 5 ou 6 meses do bebê.

O que vai na prateleira sobre as gavetas e nas primeiras gavetas? As roupas de baixo, que têm uso mais frequente. Mas não exagere. Poucas peças duráveis são mais negócio que muitas que vão desmanchar com a quantidade de lavagens.

As gavetas e prateleiras mais de baixo devem ter as roupas que o bebê vai usar depois e menos. Ou seja, se na primeira gaveta do guarda-roupa do bebê vão as roupas tamanho M, na segunda gaveta devem estar as roupas G. À medida que ele for crescendo, as roupas maiores vão subindo.

Se seu filho ganhou muitas roupas de tamanho grande para usar quando for mais velho, você pode acomodá-las em caixas plásticas com tampa e ir reabastecendo o guarda-roupa do bebê de tempos em tempos. É legal lavar as roupas antes de colocar no armário, por conta de poeira.

Se vocês vão usar cômoda, certamente a parte de cima será para o trocador e os produtos de higiene diária. Nesse caso, as gavetas da cômoda podem armazenar roupa de cama, roupa de banho, cobertores, fraldas e outros acessórios. Também na cômoda podem estar meias, babadores e sapatinhos.

Atenção ao clima!

Uma atenção especial vale para as famílias que moram em regiões com muita variação de temperatura. Nesse caso, é comum o bebê ter mais roupas e maior quantidade de roupas pesadas. Se é seu caso, vale a pena organizar o guarda-roupa do bebê de acordo com a estação do ano.

Durante o verão ou o tempo mais quente, deixe à mão os itens mais leves, como bodies, culotes e macaquinhos mais leves. À medida que o tempo for esfriando, acontece a dança das gavetas. Sobem as peças mais quentes, e descem as mais leves. A regra é a mesma: facilitar o acesso ao que usa mais. Deixar mais longe o que usa menos.

Outra dica é visitar sempre as caixas das roupas grandes e das outras temporadas. A ideia é não deixar paradas roupas e acessórios que já podem ser usados. É raro, mas acontece de a gente esquecer que tem uma peça e, quando lembra, ela já ficou pequena.

Para receber dicas valiosas como essas aqui, a melhor pedida é se cadastrar na comunidade Alô Bebê. Você entra no site, preenche seu e-mail e aperta o botão. Pronto! Imediatamente, o material exclusivo que produzimos chega até você sem nenhum esforço.

Além de se informar, você pode compartilhar e ajudar outros pais e mães da comunidade a ter uma vida mais tranquila e organizada, por dentro e por fora. Exatamente como guarda-roupa do bebê — e como Marie Kondo sugeriu.

TAGS
Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Ler matéria completa
Indicados para você